Pular para o conteúdo principal

365 - Repor o menos bem feito a outra pessoa

Meu muito amado filho

A gravíssima crise económica que Portugal (a Europa em geral e grande parte do mundo) vive de momento, trouxe a todos muitas aprendizagens… e mim trouxe tanto para aprender… converti-me definitivamente ao minimalismo da vida, à absoluta necessidade vital de poupar, o verdadeiro sentido do sacrifício, à importância do discernimento, aprofundei ainda mais o verdadeiro valor do ser família, aprendi com ainda mais clareza a importância do trabalho e do agradecimento.
Por tudo isso eu, e muitos portugueses (e cidadãos do mundo) tivemos de fazer e fazemos todos os dias sacrifícios sem tamanho por valores muito maiores que eu e que tu. O que importa?… Para mim, a única coisa que verdadeiramente importa és tu e o teu bem maior. Qualquer sacrificio vale para poderes estudar, teres saúde, andares vestido etc.
A crise coloca-nos perante escolhas. Algumas muito muito dificeis. Mas isso é o que faz de nós adultos. Escolher.
Ir jantar fora ou pagar a conta da luz?
Pagar o dinheiro a quem se deve ou ir viajar?
Comprar aquelas calças ou pagar a ginástica ao filho?
Eu não estou aqui a dizer que comer fora não se deve fazer bem pelo contrário deves sair sempre que possas, assim como deves (tens mesmo!) que viajar e comprar roupa nova é ótimo… mas há prioridades…. Posso gastar isto agora? Ou vai fazer-me falta daqui a nada para coisas verdadeiramente importantes!
Tudo o que te diz respeito, tudo o que implica a tua roupa, a tua saúde, a tua formação académica são as minhas prioridades… e como digo sempre “enquanto houverem escadas para lavar” não te faltarão sapatos para calçar.

Quando tinha 7 anos uma vez em Sesimbra, no verão, na praia assisti a um episódio que nunca mais, nunca mais me esqueci. Havia uma loja pequenina que vendia revistas, brindes, jornais, rebuçados, brinquedos, etc. Estava eu a ver uma revista para ver se tinha dinheiro para comprar e entrou uma mãe com um filho pela mão, ele vinha muito vermelho e a chorar e a mãe chegou ao balcão e disse ao funcionário da loja “Este é o meu filho Pedro ele tem uma coisa para lhe dar e duas para lhe dizer, peço a sua atenção”… o Pedro chorava e chorava e dizia “Mãe não, mãe não não quero, não posso, tenho vergonha, não tenho coragem!”… E ela disse “AGORA PEDRO!”… e ele disse “Este brinquedo (e estendeu a mão e deu um brinquedo, um carrinho) eu levei e não paguei estou a devolver ao senhor e quero pedir perdão da minha atitude e quero oferecer os meus serviços para a poder recompensar, tenho de fazer isso para que nunca mais me esqueça desta lição!”
 Já se passaram 33 anos desde este dia e eu nunca mais me esqueci. Não me esqueci como ser mãe (e irmão e tio e tia e etc) é também isto… ensinar o filho para a verdade! É não ser cumplice, é não arranjar desculpas. 

"Ah a mulher dele é uma chata por isso ele arranjou uma amante!", "Ah a professora da escola é uma burra por isso ele tira más notas na escola!", "Ah o pai dele tratava-o mal por isso ele ficou assim temos de ter essa atenção!", "Ah tambem é só um anelzinho de nada que ele tirou não é que ele tenha roubado um banco!"

Esta mãe poderia ter “olhado para o outro lado”, podia tomar o lado do filho e não dizer nada (e onde isso iria parar um dia?!?!? O filho traia a nora e a sogra não diz nada! O filho não cuida dos filhos e a avó não diz nada!? O filho rouba no trabalho e a mãe nada diz! O filho é incorreto no trabalho e a mãe nada faz!?)… mas não, esta mãe sabe que amar é mesmo mesmo mesmo fazer o melhor para os filhos e isso é sempre estar do lado do bem. É pegar no filho pelo braço e arrasta-lo à loja para ele repor o bem na hora. Educar é ajudar a crescer ajudar a ser melhor e não simplesmente ser uma "porreira", "ser simpatica", "ser fixe", "ser amiga". Educar é fazer estas coisas todas mesmo que custem. Tenho a certeza que o tal Pedro deve ter pensado bem na vida dele em tirar coisas que não fossem dele! Esta mãe demonstrou não só um profundo amor pelo filho mas mostrou que tinha caracter e valores e isso eu nunca mais esqueci!
Nunca mais me esqueci do filho que não disse “ai e tal desculpa lá todo o mal que te fiz!” … não… foi lá e pagou e repôs … repôs só assim podia ficar no bem. Repôs o mal feito e disse “eu venho cá oferecer os meus serviços para repor o bem!”. Perdoar-se é isso mesmo repor o mal feito. 
Foram duas lições que para sempre me hei-de lembrar.
Família não é esconder o mal dos outros … numa falsa ideia de “nós (família) contra eles (quem não é irmão ou irmã ou primo ou prima ou tio ou tia etc)”… o bem de quem eu amo mesmo pode ser “virar a mesa” e dizer “acabou agora não mentes mais não prejudicas mais”… isso alias é o verdadeiro amor. É não passar a mão pela cabeça mas sim … trilhar os caminhos do bem.

A moral da história é “Teve coragem de fazer o mal. Tem de ter coragem de corrigir o erro. Tem que ter.”

Envolve-te nas coisas sejam elas quais forem, seja o trabalho, a tua saude, o teu hobby, a tua vida sentimental, a tua vida cidade, a tua igreja, a tua casa.... mete amor e paixão nas coisas!

Não olhes para o relógio quando estiveres a conversar com alguém.

Nunca digas a ninguém que não sabe cantar.

Nunca digas a ninguém que não tem sentido de humor.

Pelo menos uma vez na tua vida telefona para um programa de rádio ou televisão em directo dando a tua opinião.

Não discutas com a tua mãe, acredita que tudo o que te ensinar a bem ou a mal é com amor e a vida vai te ensinar as mesmas coisas mas sem amor... à bruta!

Sabes qual eu acho que é a maior liberdade do mundo?!?! falar.... viver num sitio onde sou ouvido onde posso perguntar que me respondem onde posso fazer perguntas de qualquer especie e me respondem. Onde as minhas questões e duvidas são respondidas.
Isso é maravilhoso.






Amo-te infinitamente

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…