Pular para o conteúdo principal

357 - Comentários e funerais

Meu muito amado filho Estêvão

Quando quiseres que os teus comentários e as tuas opinões por escrito sejam levados a sério, não dês erros ortograficos e fortalece os teus argumentos de um modo válido.

Se não causar problemas de segurança, pára de vez em quando o teu carro no caminho quando estiver a passar um funeral.

Sê o primeiro adulto a saltar para a piscina ou a correr para o mar com os miúdos. Eles irão adorar-te por isso.

Lê aos teus filhos todas as noites até .... (ainda não sei até quando te vou conseguir ler todas as noites ahahah)... eles te expulsarem do quarto!

Cumpre os teus prazos. Se não conseguires avisa com tempo.

Não falhes os teus compromissos ... há pessoas que contam contigo, se não conseguires cumprir avisa e justifica-te mas com tempo.

Pergunta ao teu patrão o que espera de ti.

Sabes e conhece a história do teu pais para saberes sem erras conversar sobre o teu pais.... sabe a ordem e o nome dos presidentes da republica e reis, entende quando foi o terramoto de Lisboa, etc etc. Não precisas ser um históriador... apenas uma pessoa atenta.

Valoriza-te sempre. Melhora-te no teu caminho. Não te contentes com algo que não te faz feliz seja uma relação profissional, seja pessoal, seja a tua forma fisica, seja o teu comportamento.... avalia-te, entende os teus motivos, com verdade e frontalidade e valoriza-te o suficiente para mudares para não te afastares do caminho da felicidade .... o unico que deves verdadeiramente caminhar.
Para mudar há sempre tempo. Sempre.

Viaja. Pega em ti e vai. Sem medo. Foi um grande ensinamento que a tua avô teve em mim... desde pequena me levou a viajar a ver coisas novas, sensações novas, cheiros novos.
Com sinceridade custa-me muito a entender pessoas que simplesmente ficam, estão e não saem da sua zona de conforto do seu "arroz com feijão"... a mim custa-me entender alguém que não quer ver o sol nascer com outros fusos horarios, alguém que não sabe arranjar peixes desse mundo, alguém que não sabe que feriados há noutras partes do mundo e porquê.
Viaja sem medo, dentro de ti, dentro da tua cidade, dentro do teu pais, pelo mundo.
Come comida que não saibas o que é, como na rua, dorme a  ver estrelas diferentes, visita museos onde estão coisas que nunca vistes, ouve uma mãe a falar com um filho noutro idioma, senta-te e sente o vento de outra maneira.... mas sem medo. Se puderes evita aquelas viagens onde está tudo marcado "sair daqui as tantas horas, ir para acolá as tantas horas, comer aqui, ir ali etc etc etc"... e cruzeiros... evita... guarda-os para quando velho e as pernas te falharem... compra um livro ou ve na internet informações acerca do teu destino, antecipa o que queres visitar e como lá chegar, leva sapatos confortaveis, uma mochila, óculos de sol, um livro para ler, algum dinheiro na carteira, o coração aberto, os olhos, nariz e boca dispertos ... e vai.... VAI.... voa e vai sem medo de nada deixa a vida te surpreender. Foi uma das lições que a tua avô Júlia me deu. E que lição maravilhosa esta.




Amo-te como abacaxi com hortelã

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

644 - Porque é que as vezes as mães choram

Meu muito amado filho Estêvão

Ontem viste-me a chorar e muito e ficaste triste e muito e perguntaste-me "porque choras mãe? tu não tens medo de nada!".

Não podias estar mais errado. Tenho medo de tudo tudo tudo. Desde que nasceste então tenho ainda mais.

Ontem não foi um dia bom mas ontem foi só a ultima gota que encheu o copo.
Ontem estacionei o carro mal, não cumpri o código da estrada e para ir a correr dar uma aula estacionei em cima do passeio. Não devia foi errado e veio o reboque e levou o meu carro. Fizeram bem, eu errei. Passado o primeiro momento em que não sabia do carro e pensei que me o tinham roubado o carro, lá o fui buscar a polica.
Atenção que eu sei que errei, ok? eu estava mesmo mal parada, nunca faço isso fiz ontem e não devia.
Enquanto esperava para ser atendida, os policias que com certeza ganham mal e tem mais trabalho do que deviam demoraram muito a atender e um senhor que lá estava antes começou a irritar-se e a falar alto e que não pagava que aquilo…