Pular para o conteúdo principal

556 - A estação

Meu muito amado filho Estêvão

"Enterrado no nosso subconsciente está uma visão idílica. Viajamos de cmboio - olhando pela janela extasuamo-nos com as cenas que passam de crianças a acenar numa passagem de nível, o gado a pastar numa encosta distante, fila após fila de trigo e aveia, planícies e vales, montanhas, encostas que passam a correr e horizontes de cidades.
Mas, acima de tudo, temos em mente o destino final. Num certo dia, chegaremos à estação. Haverá bandas a tocar e bandeiras a acenar. Quando lá chegarmos, os nossos sonhos tornar-se-ão realidade e os pedaços das nossas vidas unir-se-ão como um puzzle. Inquietos andamos pelas coxias, amaldiçoando os minutos - à espera, à espera, à espera da estação.
"Quando chegarmos à estação é qie vai ser!" exclamamos.
"Quando tiver 18 anos", "Quando comprar um novo Mercedes Benz 450 SL", "Quando puser o último filho na universidade", "Quando tiver pago a hipoteca", "Quando for promovido", "Quando atingir a reforma, vou viver feliz para sempre".
Mais cedo ou mais tarde vamos perceber que não há estação, não há local onde chegar. A verdadeira alegria da vida é a viagem . A estação é apenas um sonho. Fica sempre cada vez mais longe.
"Desfruta o momento" é um bom lema, especialmente quando ligado ao Salmo 118:24: "Este é o dia que fez o Senhor; alegremo-nos e rejubilemos nele.". Não são os fardos de hoje que irritam os homens. São os remorsos do ontem e o medo do amanhã. Remorso e medo são dois gémeos ladrões que nos roubam o hoje.
Por isso parem de andar nas coxias e a contar os quilómetros. Em vez disso, subam mais montanhas, comam mais gelados, andem mais vezes descalços, nadem em mais rios, comtemplem mais vezes o pôr-do-sol, riam mais e chorem menos. A vida deve ser vivida dia a dia. A estação irá chegar, em breve."

By: Robert J. Hastings


Amo-te infinitamente

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

719 - Hoje isto acaba

Meu muito amado filho Estêvão Há 7 (quase 8) anos quando nasceste decidi escrever te este blog e decidi que 1111 coisas seriam .... hoje termino esta minha demanda mas não com 1111 mas sim com 719. Hoje isto acaba. Depois de pensar e sentir estou certa que nada mais tenho para te ensinar. NADA. Não sei nada da vida e do mundo e em particular do universo. Não sei nada do "amor". Nada de nada só sei do amor que te tenho. Não sei nada sobre namorar, casar, partilhar, ser leve. Nada. Há muitos muitos muitos anos que não sou beijada que não fecho os olhos com a sensação maravilhosa de ser amado, há outros tantos não janto fora para namorar, não olho nos olhos de alguém (que não tu) e penso UAU! .... já apanhei tantas vezes os cacos do meu coração que já perdi um monte pelo caminho e agora estão todos os cacos no saco, não sou dada a tinders ou aplicações de encontros, sou gorda demais e feia demais para algum dos meus amigos ou amigas me ajudar a encontrar um namorado. Por isso amor q…