Pular para o conteúdo principal

547 - Sonhos doces e dos outros e casamentos

Meu muito amado filho Estêvão

Recupera os teus sonhos

Quando fizeres sonhos, adiciona um ovo de cada vez lentamente.

Não te esqueças de que fazer um casamento feliz é como fazer agricultura, tem de se começar de novo todas as manhãs.

Na vida emocional, pessoal ou profissional uma traição é como partir um prato... depois podes pedir desculpa, perdão que é como um prato partido... uma vez partido jamais será igual jamais!

Ensina sempre sempre sempre pelo exemplo.

Quando os teus filhos forem jovens viaja com eles, aproveita sempre as férias, visita sitios bonitos, são recordações que jamais eles esqueceram.

Empenha-te num objectivo importante. Mas empenha-te mesmo. Mete alma, sangue, suor.

Vive com simplicidade.

Não tenhas medo de pessoas sinceras, não tenhas medo de pessoas que falam alto gesticulam muitos e são frontais... essas são sempre boas amigas e de confiança. Mas nem sempre compreendidas.

Pensa com rapides, mas não fales com a mesma rapidez. Pensa 3 vezes antes de falar.

Trabalha com afinco sempre. Mete alma, eficacia, em tudo tudo o que fazes.

Lembra-te sempre de que tudo (TUDO) o que fazemos no presente ecoa para a eternidade. Faz bem feito faz-te pessoa do bem.

Amo-te verdadeiramente daqui a Jupiter e de volta

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

679 - O dia em que fui a uma missa pela ultima vez

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje depois de um velório de uma pessoa a quem muito queria e depois de um funeral, precisava de rezar de me sentar na casa de Deus e agradecer. Sim agradecer.
Esqueci-me que já dezenas de amigos e família me tinham avisado para não ir a determinada igreja em Lisboa (não menciono aqui o nome da igreja porque de facto não interessa, não estou em luta com ninguém não quero mudar ninguém que não eu mesmo e de minha boca não farei o que outros fazem), esqueci-me e fui a essa igreja. 
Que horror ver quem tu sabes bem de capa umeral numa igreja ao lado do senhor padre e acólito e um diácono. Que horror, meu Deus. Tive de sair da igreja na altura da comunhão e vomitei, vomitei como nunca havia vomitado antes, vomitei de nojo de dentro da alma.
Nojo, vergonha e muito muito nojo de o corpo de Cristo, da Sagrada Comunhão sair das mãos de um mentiroso, que mente até no número de filhos que tem, num bandido que  vive de enganar pessoas, engana a autoridade tributária, as…