Pular para o conteúdo principal

552 - Uma tarde no parque

Meu muito amado filho Estêvão

"Era uma vez um rapazinho que queria conhecer Deus. Sabia que era uma grande viagem até onde Deus vivia, por isso fez a mala com Twinkies e seis pacotes de refresco e iniciou a viagem.
Depois de ter andado cerca de três quarteirões, encontrou uma velhinha. Estava sentada no parque a olhar para uns pombos. O rapaz sentou-se ap lado dela e abriu a mala. Ia beber um resfresco quando reparou que a velhinha parecia ter fome e por isso ofereceu-lhe um Twinkie. Ela sorriu agradecida e aceitou. O seu sorriso era tão bonito que o rapaz quis vê-lo outra vez, por isso ofereceu-lhe o refresco. Ela sorriu-lhe novamente. O rapaz ficou encantado!
Ficaram ali sentados durante toda a tarde a comer e a sorrir, mas sem dizerem uma palavra.
Quando começou a escurecer, o rapaz apercebeu-se de como estava cansado e levantou-se para se ir embora. Virou-se, foi ao pé da velhinha e deu-lhe um abraço. Recebeu o maior dos sorrisos.
Quando o rapaz abriu a porta de casa, pouco tempo depois, a mãe ficou espantada ao ver a alegria no seu rosto.
Perguntou-lhe:
- O que é que fizeste hoje que estás com um ar tão feliz?
Ele respondeu:
- Almocei com Deus. E sabes uma coisa? Ela tem o mais lindo sorriso que já vi!
Entretanto a velhinha, também radiante, voltou para sua casa.
O filho ficou espantado com o ar de paz que ela irradiava e perguntou:
- Mãe, o que é que fez hoje que a deixou tão feliz?
Ela respondeu:
- Comi Twinkies, no parque com Deus. Sabes, ele é muito mais jovem do que eu julgava."

By: Julie A. Manhan


Amo-te infinitamente

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

679 - O dia em que fui a uma missa pela ultima vez

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje depois de um velório de uma pessoa a quem muito queria e depois de um funeral, precisava de rezar de me sentar na casa de Deus e agradecer. Sim agradecer.
Esqueci-me que já dezenas de amigos e família me tinham avisado para não ir a determinada igreja em Lisboa (não menciono aqui o nome da igreja porque de facto não interessa, não estou em luta com ninguém não quero mudar ninguém que não eu mesmo e de minha boca não farei o que outros fazem), esqueci-me e fui a essa igreja. 
Que horror ver quem tu sabes bem de capa umeral numa igreja ao lado do senhor padre e acólito e um diácono. Que horror, meu Deus. Tive de sair da igreja na altura da comunhão e vomitei, vomitei como nunca havia vomitado antes, vomitei de nojo de dentro da alma.
Nojo, vergonha e muito muito nojo de o corpo de Cristo, da Sagrada Comunhão sair das mãos de um mentiroso, que mente até no número de filhos que tem, num bandido que  vive de enganar pessoas, engana a autoridade tributária, as…