Pular para o conteúdo principal

614 - Porque é que eu nunca mais falarei de amor por aqui

Meu muito amado filho Estêvão

Acho que te tenho de dizer que não sei nada sobre o amor romântico. E por isso mesmo nunca mais te falarei sobre esse assunto aqui. Nada sei sobre ondas gravíticas nem sobre amor romântico por isso sobre esses dois assuntos não contes comigo para partilhar conhecimentos!!! ahahahhaha
Conheço o amor de Deus. Sinto-O diariamente. Posso falar-te sobre amor de mãe e pai porque fui muito amada pelos meus pais. Posso falar-te sobre o amor a filho porque transbordo amor por ti. Posso falar-te de amor de filho, porque me sinto muitíssimo amada por ti. Posso-te falar de amor ao próximo porque faço por amar o meu próximo sempre, mas de amor romântico não sei nada.
Tenho à data que te escrevo estas linhas 41 anos e posso dizer-te que nada sei sobre ser amada por um homem, num sentido romântico. Nunca me senti verdadeiramente amada na pessoa que sou. E tenho imensa pena de não ter sentido esse amor. Não digo pena num sentido paternalista de lamentar de me queixar. Não. Tenho pena mas sei que eu sou responsável por isso. Quando olho para pessoas que se amam (não para casais repara…. Para pessoas que se amam!!!) penso com alguma inveja… porque não consigo estar assim? Sentir assim? Sentir-me assim?? Repara que quando digo inveja não é a inveja do sentimento do quero o que é teu… não não não nada disso… inveja no sentido cientifico do termo de procurar entender porquê… porquê que eu não?
Hoje quando penso nos meus relacionamentos na vida adulta posso dizer-te que não fui feliz em nenhum relacionamento adulto que tive. Não sou uma pessoa amável, e aqui amável não tem o significado de pessoa que expressa cortesia; que demonstra simpatia ou gentileza, nada disso, quando digo que não sou amável digo no sentido de pessoa que que não deve ou não pode ser amado, que não merece amor ou consideração. Para amar, embora eu não perceba nada disso, é preciso deixar-se amar, é preciso abrir o coração e deixar o outro entrar, é preciso confiar, é preciso querer ser-se pequeno e deixar-se arrebatar, é preciso acreditar que se é bom sozinho mas melhor com o outro, é preciso ser feliz (não no sentido de risonho e animado mas no sentido de positivo, optimista) e muito muito importante é preciso saber perdoar-se.
Quando penso nos meus relacionamentos como adulta vejo que nunca soube exactamente o que queria com clareza por isso tive de me contentar com o que me deram (é como a vida no geral, quando não sabes o caminho qualquer destino tem de te servir) e quando não se é amável o que nos dão é pouco, porque pedes pouco.
Porque não tenho a leveza de quem é amável?
A resposta fácil é porque já sofri muito, muito. Sim já mesmo, já quis com muita força alguém que não tive, comecei ainda muito muito jovem com preocupações de pessoa crescida, já me enganaram muito, já me usaram muito…. Etc etc etc… tudo isso é verdade mas (MAS) quem não sofreu já? Bem mais que eu obviamente …. E nem por isso as pessoas perdem a leveza. Que o digam os poetas, esses sim lê-os para aprenderes sobre o amor, lê Camões, lê Florbela Espanca, Eça de Queiroz, Mia Couto, lê Pessoa, lê Bocage, lê Miguel Esteves Cardoso …. Os poetas sofrem e amam e amam mais e mais e sofrem e amam e sofrem de amor e amam e amam porque sofrem e sofrem por amar. Por isso a dor não deve tirar essa leveza de ser amável.
Ser amável também nada tem a ver com o ser magro ou gordo ou cabeludo ou lindo ou feio …. Tantos feios são amados, tantos lindos amados são. Amar é coisa de alma não de físico. Amar é de coração não de fisíso.
Há já vários anos que não tenho nenhum relacionamento romântico, a ultima pessoa com quem me relacionei, disse-me ao telefone quando me explicava porque não queria continuar num relacionamento comigo: “Não gosto de ti o suficiente para manter contigo um relacionamento”. Fecho os olhos as vezes e oiço, oiço sempre isso repetido várias e várias vezes na minha cabeça…. Não que a pessoa em causa tenha alguma coisa de especial, não nada disso, lembro-a porque ninguém nunca me tinha dito essas palavras, não que não o tivessem sentido ou sabido ou pensado antes a meu respeito, mas nunca me tinham dito só isso.
Quando penso sobre isso… como não gostas? O que há para não gostar? Foi o que pensei na altura…. E depois penso …. Claro que não gostas PORQUE haverias de gostar ? o que há para gostar mesmo? Falta-me tudo TUDO. Leveza, paz, vontade de me rir, confiança, meiguice, companhia, vontade de ser acompanhada, alegria, capacidade de me perdoar, visão. Tudo. Tudo.
Gostava só que a última frase tivesse sido diferente para me lembrar de algo diferente. Mas é o que é. E de tudo lições eu tiro.
Hoje sei mais o que sabia sobre a minha falta de amabilidade há alguns anos. Sei também que me sinto muito sozinha às vezes com muita vontade de ter uma mão para dar um abraço para receber…. Sinto muito essa ausência mas sei que o amor romântico é para quem merece é para quem põe o coração ao serviço de um par que pode ser para 4 dias ou 90 anos.
Hoje é isto que eu sei sobre o amor romântico. Gostava de voltar a acreditar que as pessoas são verdadeiras, que as pessoas não se chegam a mim para me usar. Gostava. Gostava de conseguir chorar como estou a fazer agora mas na companhia de um companheiro.
Não sei se com a idade vou aprender mais sobre o amor. Não sei. Se souber mais venho aqui explicar. Não sei se algum dia alguma frase vai substituir a última “Não gosto de ti o suficiente para manter contigo um relacionamento”…. Podia. Eu ia gostar.
Às vezes quando me vês mais calada ou mais triste é porque gostava de ter uma mão crescida para apertar forte ….. mas a tua mão é uma maravilhosa companhia, meu amor.
Além dos poetas que na sua maioria já estão mortos há muitas pessoas ao pé de ti que te podem ensinar sobre este tipo de amor romântico, pessoas casadas há muitos anos, pessoas que voltaram a se apaixonar, pessoas que amam apesar de tudo, pessoas que amam por tudo. Eternos namorados, casais apertados, casais perto, casais de primeira viagem ou de segunda.
Não é uma partilha triste esta que hoje te fiz. Não é mesmo. É o que é. É parte da minha história, da pessoa que sou agora. Mas estamos em caminho, o caminho faz-se a caminhar.

Quero que te sintas por mim profundamente amado na pessoa que es, quero que te sintas feliz sempre por receberes este amor e perdoa-te sempre.
Quero e desejo que na tua vida encontres sempre amor romântico porque somos seres de amor de todo o tipo e romântico também.
Amo-te. Ama-te. Deixa-te amar.


Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

719 - Hoje isto acaba

Meu muito amado filho Estêvão Há 7 (quase 8) anos quando nasceste decidi escrever te este blog e decidi que 1111 coisas seriam .... hoje termino esta minha demanda mas não com 1111 mas sim com 719. Hoje isto acaba. Depois de pensar e sentir estou certa que nada mais tenho para te ensinar. NADA. Não sei nada da vida e do mundo e em particular do universo. Não sei nada do "amor". Nada de nada só sei do amor que te tenho. Não sei nada sobre namorar, casar, partilhar, ser leve. Nada. Há muitos muitos muitos anos que não sou beijada que não fecho os olhos com a sensação maravilhosa de ser amado, há outros tantos não janto fora para namorar, não olho nos olhos de alguém (que não tu) e penso UAU! .... já apanhei tantas vezes os cacos do meu coração que já perdi um monte pelo caminho e agora estão todos os cacos no saco, não sou dada a tinders ou aplicações de encontros, sou gorda demais e feia demais para algum dos meus amigos ou amigas me ajudar a encontrar um namorado. Por isso amor q…