Pular para o conteúdo principal

575 - Reputação

Meu muito amado filho Estêvão

Reputação (do latim reputatione) é a opinião (ou, mais tecnicamente, uma avaliação social) do público em relação a uma pessoa, um grupo de pessoas ou uma organização. Constitui-se num importante fator em muitos campos, tais como negócioscomunidades online ou status social.

Uma reputação demora anos a construir e minutos a ser destruida. Seja de uma pessoa ou de uma empresa.
Aquela empresa sempre usou a melhor agua do mundo para fazer o seu refrigerante um dia alguem fica doente por causa dessa água ... nunca mais vai vender igual. A reputação cai por terra.
Assim é com as pessoas, há em Portugal um ditado que diz "à mulher de César não basta ser séria tem de parecer séria"... é assim mesmo há que ser e tambem parecer.
Um profissional pode demorar anos a construir uma reputação de trabalhador, sério, honesto, competente e um dia por uma mentira todos os anos desse caminho de trabalho, desse tempo todo a construir uma reputação caem por terra.

Somos pessoas, somos animais socias, vivemos e assim deve ser em comunidade, em sociadade, o que os outros pensam de nós, como nos vêm não deve reger a nossa vida obviamente porque somos o que somos e devemos ser assim mesmo.... mas como nos vêm é mesmo importante tambem é importante que o que vejam seja o que verdadeiramente somos... que sejamos coerentes para que sejamos nós mesmos.
Não deixes que uma mentira, uma atitude desonesta, uma escolha errada estrague o que os outros vêm de ti.

A nossa reputação é como um prato de loiça, uma vez partido podes apanhar os bocados todos de prato para tentar colar mas jamais será a mesma coisa.

A verdade, o trabalho honesto, o caminho regular sempre são nossos aliados.

Amo-te demais

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

679 - O dia em que fui a uma missa pela ultima vez

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje depois de um velório de uma pessoa a quem muito queria e depois de um funeral, precisava de rezar de me sentar na casa de Deus e agradecer. Sim agradecer.
Esqueci-me que já dezenas de amigos e família me tinham avisado para não ir a determinada igreja em Lisboa (não menciono aqui o nome da igreja porque de facto não interessa, não estou em luta com ninguém não quero mudar ninguém que não eu mesmo e de minha boca não farei o que outros fazem), esqueci-me e fui a essa igreja. 
Que horror ver quem tu sabes bem de capa umeral numa igreja ao lado do senhor padre e acólito e um diácono. Que horror, meu Deus. Tive de sair da igreja na altura da comunhão e vomitei, vomitei como nunca havia vomitado antes, vomitei de nojo de dentro da alma.
Nojo, vergonha e muito muito nojo de o corpo de Cristo, da Sagrada Comunhão sair das mãos de um mentiroso, que mente até no número de filhos que tem, num bandido que  vive de enganar pessoas, engana a autoridade tributária, as…