Pular para o conteúdo principal

717 - Gosta de ti, gosta da vida, porque viver é uma dádiva

Meu muito amado filho Estêvão


"Se pensas sempre que não consegues, que tens uma vida muito simples e não és dada a grandes coisas, este  texto é para ti. Se pensas que és só mais um entre muitos, acredita que a diferença está dentro ti. Se te achas banal e sem motivo de grande interesse, pára e lê.
São as mínimas diferenças que nos tornam únicos no meio deste mar de gente. São as nossas atitudes que nos distinguem dos demais. São as pequenas coisas que fazemos que nos tornam grandes.
Lembra-te que há pequenos gestos que nem sequer exigem talento e que fazem toda a diferença. Ser pontual, ser honesto e ser esforçado. Ser correcto e educado. Ter atitude, energia positiva e foco. Ser flexível, tentar fazer sempre mais e estar preparado para o que der e vier.
Não é preciso grande talento ou nenhuma aptidão especial. Não são precisos grandes estudos ou cursos. Não é precisa um vocação especial. É, sim, precisa grande força de vontade.
Muitas vezes é apenas uma questão de atitude. Temos sempre espaço para tentar e conseguir dar um passo em frente. Há sempre espaço para evoluirmos e nos tornarmos melhores.
É perfeitamente possível, não te parece?"
By: Marta Almeida


"Olha à tua volta. Olha e vê!
Quantas pessoas é que vês que “apenas estão”? Imensas provavelmente. Pessoas que “apenas estão” em casamentos, “apenas estão” em vidas, “apenas estão” em relações. Pessoas que “apenas estão” em trabalhos, em projectos. Pessoas que saem com os amigos que “apenas estão por ali”. 
Pessoas que “apenas estão” naquela vida, mas que podiam estar noutra qualquer, porque para elas, na verdade, era igual.
 “Apenas estão” porque assim é mais confortável.
Apenas trabalham porque assim pagam as contas. Apenas têm determinada pessoas na sua vida, porque assim têm alguém para quando chegarem a casa não se sentirem sozinhas e terem a cama quente à noite.
Algumas pessoas apenas vivem. Para algumas pessoas apenas viver é o suficiente. É o bastante.
Mas o suficiente não desafia, não é emocionante nem inesquecível.
O suficiente não te faz correr riscos.
O suficiente não te faz crescer.
O suficiente não te leva a lado nenhum.
O suficiente é apenas o suficiente e nada mais que isso.
E a ti? O suficiente chega-te?"
By: Marta Almeida

Quando alguém repentinamente mente, deixa de ter uma resposta emocional às próprias falsidades. Assim, e antes de uma ausência total de sentimentos, essa prática se torna mais fácil e se torna um recurso habitual. É por isso que os neurologistas chegaram à conclusão de que o cérebro de um mentiroso funciona de maneira diferente: eles são mentes habilmente treinadas para esse propósito.
Se há algo que caracteriza o cérebro humano é a sua plasticidade, sabemos disso. Portanto, não ficamos surpresos em saber que mentir é, afinal, uma habilidade como qualquer outra, e que, para manter um bom nível de excelência, basta praticar diariamente. Algumas pessoas sentem paixão por matemática, design ou escrita, disciplinas que por si só também modelam cérebros distintos com base em nossos estilos de vida, nossas práticas usuais.
“Uma mentira pode salvar o presente, mas condena o futuro.” -Buda
Os campos da psicologia e da sociologia sempre se interessaram pelo mundo das mentiras e do engano. No entanto, por algumas décadas e em vista dos grandes avanços nas técnicas de diagnóstico, é a neurociência que está nos oferecendo informações mais valiosas e, ao mesmo tempo, perturbadoras. A razão? Se disséssemos neste exato momento que a personalidade desonesta é o resultado do treinamento e da contínua habituação, é possível que mais de um se sinta surpreso.
Quem começa com as pequenas mentiras e as transforma em hábito, induz o cérebro a um estado progressivo de dessensibilização. Pouco a pouco, grandes mentiras machucam menos e tornam-se um modo de vida…
O cérebro de um mentiroso e a amígdala
A maioria de nós se impressiona com certos comportamentos daqueles agentes sociais que vivem no nosso dia a dia. Vemos, por exemplo, alguns políticos se apegando às suas mentiras, defendendo sua honestidade e normalizando atos que por si mesmos são altamente repreensíveis e até mesmo criminosos. Mas isso ocorre por serem representantes políticos e públicos ou é algo que ocorre biologicamente?
Tali Sharot , professor de neurociência cognitiva da University College London, nos diz que há de fato um componente biológico, mas também um processo de treinamento . Assim, a estrutura cerebral que está diretamente relacionada a esses comportamentos desonestos é, sem dúvida, a amígdala. O cérebro do mentiroso realmente passa por um processo sofisticado de autoformação, onde você acaba dispensando toda a emoção ou culpa.
Na revista Nature Neuroscience temos um artigo muito completo publicado em 2017, onde é detalhado. No entanto, e para entender melhor, daremos um exemplo. Imagine um jovem que chega a uma posição de poder em sua companhia. Para transmitir liderança e confiança aos seus funcionários, recorre a pequenas mentiras. Essas dissonâncias, esses pequenos atos repreensíveis fazem nossa amígdala reagir. Essa pequena estrutura do sistema límbico relacionada à nossa memória e reações emocionais é o que limita o grau em que estamos dispostos a mentir.
Agora, esse jovem acaba transformando o uso de mentiras em um recurso constante. Seu trabalho nessa organização é baseado no uso permanente e deliberado do engano. Quando essa abordagem é habitual, a amígdala pára de reagir, cria tolerância e não mais emite nenhum tipo de reação emocional. O sentimento de culpa desaparece, não há remorso ou preocupação.
O cérebro de um mentiroso, por assim dizer, se adapta à desonestidade.
A mentira faz o cérebro funcionar de uma maneira diferente
Aquele que mente precisa de duas coisas: memória e frieza emocional. Isto é o que eles nos dizem em um dos livros mais completos sobre o cérebro de um mentiroso: “Por que mentimos … especialmente para nós mesmos: A ciência do engano” pelo professor de psicologia Dan Ariely. Da mesma forma, também somos convidados a descobrir outros processos neurológicos que não são menos interessantes sobre o assunto.
Um experimento conduzido pelo próprio Dr. Ariely, revelou que a estrutura cerebral dos mentirosos patológicos tem 14% menos substância cinzenta. No entanto, eles tinham entre 22 e 26% mais substância branca no córtex pré-frontal. O que significa isto? Basicamente, o cérebro de um mentiroso estabelece muito mais conexões entre suas memórias e suas ideias . Essa maior conectividade permite-lhes dar consistência às suas mentiras e acesso mais rápido a essas associações.
Todos esses dados nos dão uma pista sobre como a desonestidade é desenvolvida a partir de dentro, a partir dos processos cognitivos que gradualmente adquirem maior solvência à medida que os praticamos, pois nosso cérebro também deixa de acrescentar o componente emocional a esses atos.
Assim, o Dr. Airely não deixa de ver nessas práticas algo verdadeiramente assustador. O fato de a amígdala deixar de reagir a certos fatos revela que estamos perdendo aquilo que, de alguma forma, nos torna humanos. Quem não vê mais que suas ações têm consequências sobre os outros, perde sua nobreza, a bondade natural que supostamente deveria definir a todos nós.
O cérebro de um mentiroso é moldado por um conjunto de motivações sombrias. Nós poderíamos dizer que depois que a pessoa escolhe a mentira como seu modo de vida, há uma série de finalidades muito específicas: desejo de poder, status, dominação, interesse pessoal... é a ideologia de quem decide em um dado momento que é prioridade acima dos outros. E nada pode ser mais perturbador.
Vamos pensar sobre isso.

Eu gosto de simplicidade, de riso fácil, eu gosto de humildade. Eu gosto de gente que fala e cumpre, eu gosto de gente intensa, gente que pensa, faz e acontece.
Eu gosto de gente que não tem medo, gente atrevida, desmedida, eu gosto de gente que sabe guardar segredo.
Gosto daqueles que sabem ouvir, vibrar e chorar comigo, gosto daqueles que oferecem um ombro amigo sempre que preciso.
Eu gosto de gente interessante, que só se importa com o que é realmente importante, que não perde tempo com banalidades. Gosto daqueles que amenizam saudades.
Gosto de gente que nunca desiste, que sempre insiste e vai além. Gosto de quem cai e levanta, que não se intimida no primeiro obstáculo, gosto de quem traz paz, gosto de gente que fala e faz.
Gosto de surpresas, gosto de carinho, gosto de respeito, às vezes gosto de tudo do meu jeito, mas acima de tudo eu gosto de gostar.
Nunca deixe de gostar, nunca troque o amor pelo ódio, o sorriso pela lágrima. Cuidado com as lamentações, elas fazem mal aos corações.
Goste de você, goste da vida, porque viver é uma dádiva. Lembre-se que não importa quão ruim seja uma situação, poderia ser pior, mas não é, porque Deus é contigo. Tenha fé no amanhã e viva intensamente o hoje.
Se você tem uma casa, amigos, amor, saúde e um abrigo, você meu amigo é rico. Goste de gostar, ame ao próximo, ajude a quem precisar e tenha compaixão, porque um dia todos vamos morrer e o que vai ficar, são as lembranças, influências e o impacto que causamos na vida das pessoas.
Seja uma boa lembrança, uma boa influência, cause um bom impacto e deixe seu legado.
Goste de viver e nunca se esqueça de sempre agradecer. Eu gosto muito e você?


O que o namorado da minha mãe me ensinou :)


Amo-te infinitamente

Tua mãe







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

74 - Regras de vida minimalista

Amado filho
Deixo-te algumas regras de minimalismo... viver de um modo simples....

Querido filho deixo-te de seguida uns ensinamentos de alguem que sabe muito mais que eu... retirado de http://busywomanstripycat.blogspot.pt/

1. Reduza a tralha 2. Use o sistema de destralhamento do Dave 3. Use o speed cleaning para limpar a casa 4. Corte em metade o tempo que passa no supermercado 5. Compre em grandes quantidades 6. Plante um jardim 7. Faça todos os seus recados no mesmo sítio 8. Corte o tempo que passa a tratar da roupa em metade 9. Não compre roupas que precisam de ser limpas a seco 10. Deixe os sapatos à porta 11. Use tapetes com padrões 12. Use tabuleiros para a comida 13. Mantenha as plantas lá fora 14. Substitua a relva por relva artificial 15. Ou, pelo menos, simplifique a manutenção da relva 16. Animais de estimação simples 17. Mudanças simples 18. Reciclagem simples 19. Mude-se para uma casa mais pequena 20. Guie um carro simples 21. Venda a porcaria do barco 22. Construa um guarda-roupa simples 23. …