Pular para o conteúdo principal

678 - Dobrar mas nunca partir


Meu muito amado filho Estêvão
Problemas, fracasso e tragédia são palavras desagradáveis de se ouvir. Mas cada uma delas, vez ou outra, vão bater em nossas portas. E para lidar com esses momentos precisamos de resiliência. Ela nos ajuda a enfrentar, superar e crescer com os muitos desafios e exigências que encontramos pelo caminho.
É sobre isso que eu quero falar hoje: o que é e como ter mais resiliência.
O que é resiliência? E quem é a pessoa resiliente?
A palavra Resiliência vem do Latim: Resilire, que significa voltar atrás.
É um termo originalmente utilizado na física que se refere a capacidade de um material em suportar grandes e diferentes tipos de pressão – como mudanças bruscas e extremas de temperatura, choques, etc. – permanecendo o mesmo ou  conseguindo se recuperar e voltar à sua forma original rapidamente.
Ou seja, resiliência é a capacidade de um material de resistir a pressões ou de sofrer deterioração e mesmo assim se refazer e se reconstruir voltando à forma original.
Um exemplo que podemos dar de materiais resilientes são o nylon e a lycra. Eles se esticam mas não rascam e acabam voltam à sua forma original rapidamente.
Resiliência: conceito
E o que vem a ser resiliência psicológica, então?
A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, stress, etc. – sem entrar em surto psicológico, emocional ou físico, por encontrar soluções estratégicas para enfrentar e superar as adversidades.
Tanto para a vida pessoal como profissional ter um alto nível de resiliência é uma característica tremendamente poderosa e útil. Ela é considerada a ‘habilidade’ profissional mais importante do século. E ela é uma característica fundamental de quem tem um mindset de crescimento.
No trabalho a resiliência é hoje reconhecida como uma característica definidora dos empregados que lidam bem com o stress e tensões do ambiente de trabalho moderno. Manter a atitude correta e a eficácia perante o desafio e à mudança indesejada é um atributo chave em lidar com os rigores de mundo profissional atual.
A força interior de pessoas bem-sucedidas e como elas lidam como os problemas
Bill Gates disse uma vez que: “É bom comemorar o sucesso, mas é mais importante ter em conta as lições do fracasso.”
E ele não estava falando metaforicamente.
Bill Gates, antes de se tornar um dos homens mais ricos do mundo também já experimentou o gosto amargo do fracasso. Mas como todos os grandes vencedores ele possui um mindset de crescimento que permitiu que ele compreendesse que o fracasso é uma das formas mais valiosas de feedback que existem.
Feedback significa retroalimentação, ou seja, é a reação de algo ou alguém a um tipo de estímulo. É a informação que um chefe dá a um funcionário sobre sua performance, ou a correção que o professor dá a uma atividade de um aluno.
fracasso é uma espécie valiosa de feedback porque tem esse poder de expor erros, acertos e promover o aprendizado como poucas outras coisas têm, e para é fundamental para a construção da resiliência.
“Na vida, ou se ganha ou se aprende!”
Michael Jordan disse certa vez: “Eu perdi mais de 9.000 lançamentos em minha carreira. Eu perdi quase 300 jogos. 26 vezes, a minha equipa precisava que eu marcasse os pontos da vitória no minuto final da partida, mas eu errei. Eu falhei repetidamente, uma e outra vez, na minha vida. E é por isso que eu fui bem-sucedido.”
O que ele quis dizer com isso é que cada erro e cada derrota lhe ensinavam e capacitavam para a vitória. A sua segurança e autoimagem não eram abaladas pela derrota e pelos erros.
Na visão de gente como Michael Jordan e Bill Gates o fracasso é apenas uma das consequências possíveis de uma ação. E a própria tentativa tem muito valor, não só o sucesso. Assim, o fracasso não define a identidade de alguém que sofreu uma derrota.
E tu?
Para um pouco e pense como tu lidas com as adversidades da vida. Tu és alguém que consegue aprender com o fracasso e com as deceções? Tu tens autoconhecimento suficiente para reconhecer a fraqueza? Tu recebes bem o feedback das pessoas ao teu redor?
Fracasso é apenas uma consequência de uma ação que alguém tomou… Alguém que se expôs, que tentou. NÃO é uma definição do seu caráter! Fracasso é um status provisório.
Fracasso: um degrau importante para o desenvolvimento pessoal.
Mas será que a resiliência é uma característica que podemos desenvolver ou já nascemos com ela?
Vamos pensar sobre os bebês que estão aprendendo a andar… Quedas e choques são inevitáveis nessa fase da vida, não é mesmo? E consequentemente uma crise de choro aqui e ali.
Mas após a queda o que a criança faz? Desiste de andar ou levanta e tenta novamente? Obviamente, ela levanta e tenta novamente! E quanto mais tenta mais desenvolve suas habilidades motoras.
Assim também devem ser com nossas “quedas”.
Depois da deceção e do fracasso um período de luto e depois… de volta para ação. Esse é o ciclo natural da vida.
Por isso, o suicídio é uma anomalia.
Você sabia que os únicos seres vivos capazes de cometer suicídio são os seres humanos? Pois é! O instinto da vida é se preservar.
Desistir não faz parte dos planos
Mas é isso que muitos de nós faz.
Talvez não cheguemos ao extremo de acabarmos com nossas próprias vidas, mas desistimos de coisas importantes para nós e para nossa felicidade depois de passarmos por situações de fracasso, ou intensa pressão.
Pessoa com mindset fixa, e com pouca força emocional, depois de uma situação de fracasso passam a evitar o risco e se deixam dominar pelo medo de fracassar novamente.
Seu instinto de preservação assume o controlo de suas decisões e sair da zona de conforto se torna impensável.
A psicologia, então, adotou o termo resiliência para determinar a capacidade de uma pessoa funcionar bem ou não sob pressão. Assim, o significado de resiliência é a capacidade que o individuo tem de lidar bem com problemas, contratempos, e fracassos mantendo o equilíbrio emocional.
Se você me pedisse para simplificar um pouco diria que quanto mais resiliente for uma pessoa, mais preparada emocionalmente ela está para encarar as adversidades da vida.
Resiliência ≠ Resistência

No entanto, não podemos confundir resiliência com resistência, o que é muito comum já que o conceito remete muito à força que impede você de se fragilizar. Esses são conceitos diferentes.
Quem é resistente consegue “segurar a barra”, encarar o problema e o stress, mas a pessoa que é resiliente, além de conseguir suportar a pressão, tem a incrível habilidade de aprender com as dificuldades e de contornar a situação encontrando soluções alternativas para resolver os problemas.
O bebê que está aprendendo a andar não apenas aguenta às quedas, ele desenvolve suas habilidades com cada nova tentativa.
Fugir do problema ou fingir que não está acontecendo nada é um comportamento típido de quem é resistente. Os resilientes, por sua vez, se permitem sentir profundamente cada momento, inclusive os mais difíceis, mas não perdem sua essência.
Exercitando o músculo da resiliência.
Mas se você não é uma pessoa naturalmente resiliente, acredite que todos estamos aptos a desenvolver a resiliência e que cada dificuldade enfrentada é uma ponte para aprimorá-la, bastando apenas querer e trabalhar para isso.
O seu desenvolvimento e aprimoramento é um consequente resultado das lições aprendidas com a vida.
Voltando ao exemplo das crianças, sabemos que é muito comum que os pais tentem blindar as crianças das dificuldades e mantê-las o mais longe possível dos problemas. Porém, sem perceber, os pais estão tirando dessas crianças a oportunidade de treinar as suas habilidades de controlo emocional e desenvolver sua resiliência.
Com isso, ao crescer, a criança pode ter dificuldade para lidar com os momentos de contratempos de forma construtiva.
Obviamente, essa habilidade pode ser aprendida e desenvolvida em qualquer fase da vida, mas blindar nossos filhos contra tudo talvez não seja a melhor ideia. Uma boa dose de realidade pode ser muito bem-vinda.
Já para nós, adultos, o importante é ter força de vontade de entender como funciona a nossa própria mente e nossas próprias emoções.
Apreciando as derrotas e dificuldades
Permanecer emocionalmente estável e não se desesperar diante de uma adversidade não é uma coisa fácil.
Agir corretamente sob pressão e conseguir enxergar o lado positivo de situações totalmente desfavoráveis, conseguindo aprender com os erros cometidos é mais difícil ainda. Mas o primeiro passo para aumentar a sua zona de conforto e sua tolerância à pressão é saber qual é o seu limite.
O autoconhecimento é um grande aliado.
Então, por que algumas pessoas conseguem ser resilientes e outras não?
A resiliência tem muito a ver com o autoconhecimento, autoconfiança, esperança e fé. É uma característica consequente de todas as experiências da sua vida, sejam elas internas (como estrutura psíquica e sua subjetividade) ou externas.

Amo-te infinitamente.

Tua mãe




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

74 - Regras de vida minimalista

Amado filho
Deixo-te algumas regras de minimalismo... viver de um modo simples....

Querido filho deixo-te de seguida uns ensinamentos de alguem que sabe muito mais que eu... retirado de http://busywomanstripycat.blogspot.pt/

1. Reduza a tralha 2. Use o sistema de destralhamento do Dave 3. Use o speed cleaning para limpar a casa 4. Corte em metade o tempo que passa no supermercado 5. Compre em grandes quantidades 6. Plante um jardim 7. Faça todos os seus recados no mesmo sítio 8. Corte o tempo que passa a tratar da roupa em metade 9. Não compre roupas que precisam de ser limpas a seco 10. Deixe os sapatos à porta 11. Use tapetes com padrões 12. Use tabuleiros para a comida 13. Mantenha as plantas lá fora 14. Substitua a relva por relva artificial 15. Ou, pelo menos, simplifique a manutenção da relva 16. Animais de estimação simples 17. Mudanças simples 18. Reciclagem simples 19. Mude-se para uma casa mais pequena 20. Guie um carro simples 21. Venda a porcaria do barco 22. Construa um guarda-roupa simples 23. …