segunda-feira, 5 de março de 2018

651 - As coisas que entretanto me vou lembrando

Meu muito amado filho Estêvão

Quando algum dia vires uma mulher a chorar abraça a mas abraça mesmo acredita que se ela está a chorar agora é porque não chorou muitas muitas muitas vezes antes. Acredita. Faz te presente só pelo abraço nada mais.


Sabes quando é que eu sabia mais sobre filhos?
Quando tu não existias na minha vida nessa altura eu sabia tudo. Agora só sei que nada sei. Nada. Nada mesmo.

Ontem domingo quando voltei do trabalho abraçaste-me e disseste baixinho ao meu ouvido "sabes mama o que eu queria mais na vida? que tu tivesses alguém na tua vida que te ajudasse, que te desse os beijinhos que eu não posso dar. Queria tanto que tivesses ajuda como tu me ajudas a mim"
Ainda não sei o que dizer. Nem sei se saberei algum dia.
Conta comigo para tudo o que for necessário sempre.
Esta será sempre a tua casa, o teu quarto, o teu colo, o teu abraço.


Um dia quando conseguires ler todas as letras vais ler aqui um monte de coisas soltas algumas vão fazer mais sentido outras menos mas todas vem do mesmo sitio. O meu coração

amo-te perdidamente

tua mãe

Nenhum comentário:

Postar um comentário