Pular para o conteúdo principal

522 - As minhas desculpas

Meu muito amado filho Estêvão

Eu sou tua mãe desde antes de tu existires mas ontem foi dia da mãe. Eu tenho a melhor mãe do mundo, a minha mãe ensinou-me a ser quem sou hoje, ama-me apesar de tudo, ama-me com tudo o que eu sou. E ama-te a ti como a mim. Dá te colo, alimenta-te, trata a tua febre, cuida das nossas dores. Faz-nos rir, faz-nos saltar, educa-te, educa-me.... Fez-me pessoa e faz-te pessoa.
Ontem queria ter estado com ela, queria tê-la abraçado, queria ter-te abraçado queria lambuzar-vos do amor que vos tenho. Mas não foi possível. E essa é mais uma dor que segue comigo.
Ontem tive de trabalhar, estiveste comigo, como estas cada segundo da minha existência mas ontem tinha mesmo que trabalhar, porque cada cêntimo que ganho é para te alimentar, te vestir, te tratar, para que estudes....
Um dia perguntaste-me porque tens tanto que trabalhar mama?
Porque fui roubada durante 40 meses por um homem muito mau que me roubou a almofada de segurança económica que eu tinha para mim e para ti e para o meu e o teu futuro e por isso eu e tu vivemos do meu salário e vivemos cada mês com o salario do mês anterior (e graças a Deus por ter emprego!) e por isso às vezes apesar de estar com o coração partido, apesar de não respirar tenho de me levantar e trabalhar (quando a minha vontade era ficar o dia todo a olhar para ti a brincar a conversar), porque tenho a tua escola para pagar e NADA (NADA) te vai tirar o futuro que tu quiseres ter, seja ele qual for.
Um dia perguntaste-me porque não pedes o teu dinheiro de volta e ficas aqui a brincar comigo?
Pois filho peço muito e já pedi muito muito muito muito muito e muitas e muitas e muitas e muitas vezes e nunca (NUNCA/JAMAIS) tive resposta. Nenhuma resposta.
Mas isso que importa? Eu tenho dois braços, duas pernas, coragem, amor e Deus no meu caminho e sei que quando ele diz para amar o próximo é jamais consentir que algum mal aconteça ao meu próximo …. E por isso meu amor eu trabalho para que acha sempre alegria, amor, pão e escola. E se Deus me der saúde jamais te faltará o que for.
E o resto mama? Perguntas tu.
Pois amor o resto, as ações ficam sempre com quem as pratica e nós seguimos a nossa vida. É isso.
Eu continuo firme amor, firme em amor revisto em ações e não apenas palavras vazias como balões de ar... o amor é sangue é suor e lagrimas. E o meu amor por ti é dar-me inteira, é ser inteiramente tua, é fazer todos todos todos os sacrifícios por ti.
E o meu amor por ti é infinito e infinitamente me levantarei todos os dias com a certeza que o teu futuro segue independentemente do mal.
Hoje é outro dia e cá estamos com uma jura solene que te deixo aqui.... para o ano não será assim! Não mesmo.
Como mulher e mãe deixo-te aqui um pedido mas um pedido muito muito muito muito importante.... Tu mereces tudo o que eu já passei na minha vida, tu és o meu alfa e o meu ómega, a tua vida justifica tudo tudo tudo… Tu vês tudo à tua volta és o meu companheiro de jornada..... Peço-te como tua mãe e como mulher uma coisa: nunca deixes uma mulher que tenha sido tua companheira pior do que quando a encontraste NUNCA. Mas nunca nunca nunca nunca. Não me refiro a sentimentos, isso passa... refiro-me a que jamais a enganes, jamais a roubes, jamais a maltrates, jamais a prejudiques..... Se não podes fazer o bem, simplesmente afasta-te, não uses ninguém NINGUEM isso é uma total falta de caracter que fica cravado na alma. Não faças isso jamais.
Sê um homem bom ... tens uma mãe e uma avó que te ensinam isso todos os dias.
Deixo-te palavras que são dos outros mas que na realidade são também minhas…



Adoro ser mãe.
Adoro ser a mãe do Estêvão
Adoro principalmente ser mãe á minha maneira.
Mudei de tantas maneiras desde que sou tua mãe.
E amo a minha mãe também. Nasci de alguém que é uma guerreira e que sempre me aceitou mesmo quando pensa diferente. Acho que não há melhor maneira de criar um filho do que dar lhe a liberdade para ser quem ele é.
A todas as mães que percebem o que é satisfazer as necessidades dos outros mais do que as nossas; a todas as mães que viram o mundo do avesso para ver um sorriso na cara dos nossos pequeninos, a todas as mães solteiras que como eu fazem de pai e mãe e ainda assim são mulheres independentes e felizes.
A maior parte das mães que conheço são mães-coragem. Separadas. Batalhadoras. Que não faltam aos momentos mais importantes dos filhos. Que fazem das tripas coração para estar lá. Para apoiar. Para nunca desistir deles. São mães que já "deram para o peditório da carreira". Já não têm que provar nada. Já provaram ao mundo que trouxeram ao mundo o melhor cada uma delas tem.
Cuidadoras. Educadoras. Zeladoras. Presentes e insistentes. Que vira leoa. Cujos braços crescem a toda a hora. Mãe não é só parir. É não faltar. Nunca. Nunca Nunca Nunca.
By: Rita Marrafa de Carvalho e Marta Castro Ferreira com modificações


Dar Graças por vos ter na minha vida! 
Graças por me ensinarem sempre a ser melhor. 
Graças por me ensinarem todos os dias a errar. 
Graças por ser mãe do vosso amor. 
Graças por me fazerem todos os dias crescer. 
Graças por me ensinarem desde o primeiro dia a ser maior. 
Graças por ter sido a eleita para ser vossa Mãe! 
Graças por todos os momentos de exaustão e dor. 
Graças por me fazerem sorrir também. 
Graças por todas as lágrimas de felicidade e de suor. 
Graças até pelas noites sem dormir, pelos beijos infinitos de amor. 
Graças por me fazerem ser melhor. Graças por provarem que sou sempre mais capaz. 
Graças por me fazerem sempre superar. 
Graças pelas gargalhadas que me fazem dar.
Graças por ter descoberto a plenitude da vida. 
Graças pela minha maior corrida conseguida. Pela maior aventura jamais vivida.
Pela mais forte superação tão consagrada. 
Graças meu Deus pelo dom e confiança. 
Graças por tudo e graças por nada! 
Graças por descobrir que não há limites. 
Graças Estêvão por te ter na minha vida!
By: Família de 3 e ½ com adaptações


MINHA MÃE MEU AMOR
Respirar-te o sangue
bebendo-te o perfil
bordando-te o perfil
a ponto-pé-de sombra
e de flor
a ponto-pé-de amor.
Respirar-te o mover
bebendo-te o sorrir
bordando-te o sorrir
a ponto-pé-de parto
e de partir*
a ponto-pé-de afago
e de flor
minha mãe
meu amor
By: Maria Teresa Horta


Trago-te sempre no olhar e no coração.
Quando não te vejo, vejo-te em tudo o que vejo. 
Quando não te sinto entrelaçado em mim, entrelaço-me em tudo o que me faz sentir-te.
Quando não te vejo sorrir, procuro o teu sorriso na minha memória de mãe. Quando não te ouço falar, ouço o eco da tua voz em mim. Vives em mim,vives em cada poro do meu corpo, em cada inspiração que faço, em cada criança que vejo,em cada abraço que dou. 
Contigo aprendi a ser criança, contigo sou outra, mãe e mulher.
Sem ti não sei bem quem sou.
Por ti lutei, por ti larguei, por ti aqui estou.
Nasci para te ter e ter-te só o consigo sentir.
Quando os meus olhos não alcançam os teus, 
o mundo não tem a mesma cor, o mesmo cheiro, a mesma vida.
Quando os meus olhos não alcançam os teus, metade de mim não sou, e a outra metade também não.
In Crónicas de uma vida que se vive todos os dias
Mãe Diana Gaspar Duarte


Um dia, espero que tu Estêvão sintas a falta de aninhar a cabeça no meu corpo.
Que me beijes a cara, com rugas mas macia, e me digas que me ama, como dizes agora.
Que me percebas, me dês valor e que me digas que eu até tinha razão.
Que sejas um homem independente, mas que carregues no coração uma infância plena, cheia de carinho, de pés descalços, aviões e cócegas. 
Que tu meu filho sintas por alguém o que eu sinto por ti. Um amor que me faz chorar enquanto escrevo, de tão enorme e avassalador. Um amor em que convivem certezas e medos. Um amor em que me descubro maior do que pensei. Um amor sem igual.
Um dia, espero que tu Estêvão me olhes com o mesmo carinho com que olhas agora, com aqueles olhos grandes e brilhantes e desejes que eu nunca morra. As mães nunca morrem, apesar do meu coração morrer um bocadinho só de pensar nisso. 
Um dia, espero que tu meu filho Estêvão me ames tanto quanto eu amo a minha mãe. 
Tu meu filho choras por mim, idolatras-me e fazes caretas para que me ria. Daqui a uns anos, vais odiar-me, vais chamar-me chata, revirar os olhos e achar que eu não percebo nada e que eu sou velha. Vais chorar no quarto e dizer entre dentes que estás farto de mim. Vais pedir para crescer depressa e para seres independente.
Mas, um dia, espero que o meu filho volte a ser o filho que me olha com aqueles olhos brilhantes, o filho que me estende os braços a pedir colo, o filho que sabe que não há amor maior do Mundo que o amor de uma Mãe. 
Que para ti eu seja sempre a melhor mãe do mundo.
By: Joana Paixão Brás com modificações.


Quantas vezes guardei um obrigado para mim por achar que a minha mãe não fez mais do que a sua obrigação. Quantas vezes escondi um desculpe por não ter coragem de admitir que errei com ela. Quantas vezes falhei, quantas vezes fui um mau filho, quantas vezes fui injusto, quantas e quantas vezes não lhe dei o valor que ela merecia. Por ingenuidade, ignorância, por falta de noção. Eu e todos nós temos um enorme pedido de desculpas a fazer às nossas mães, e quando digo mães refiro-me a quem realmente merece este título, assim como eu e todos nós temos um gigante obrigado a dizer-lhes. O melhor pedido de desculpas e obrigado que lhes podemos dizer é mesmo ajudá-las, amá-las e acarinhá-las porque se há ser no mundo que merecia viver para sempre, é uma mãe.
Desculpe mãe quando me pediu ajuda e eu não a ajudei quando não tinha nada de importante para fazer. Desculpe ter-lhe falado alto quando a única coisa que devia ter feito era simplesmente ouvir. Desculpe ter reclamado por não me ter dado o que queria, quando eu só devia ter compreendido. Desculpe não lhe ter respondido às chamadas por me estar a divertir e esquecer-me que do outro lado estava uma mãe preocupada, por não saber nada do seu filho. Desculpe pelas vezes em que reclamei da comida que me fazia e eu não gostava, quando eu só me devia ter lembrado que a tinha feito com tanto carinho e para o meu bem. Arrependo-me de tudo isto, arrependo-me de tudo o resto, palavras não chegam, mas sem palavras não presto. Sei que me ama, não por ser um bom filho, mas simplesmente pelo facto de ser seu filho. Podia ser a pior pessoa do mundo que tenho a certeza que não me amaria menos e, por isso, maior prova da pureza do seu amor não posso eu pedir. Peço-lhe apenas que me perdoe, não por simplesmente ser seu filho, mas por compreender que não sou o melhor, que sei disso, e que tento melhorar.
Hoje dou mais valor à roupa lavada que aparecia dobrada sobre a minha cama. Hoje dou mais valor aos jantares e almoços que apareciam prontos sobre a mesa. Hoje dou mais valor às preocupações que não tinha com as contas a pagar. Pois alguém, nos bastidores da minha casa e da minha infância, fazia tudo isto, tratava de tudo isto sem pedir nada em troca: a minha mãe. Uma mulher, uma guerreira que, por detrás daquele corpo frágil e daquele sorriso que se esforça tanto para não perder, suporta uma família, uma casa, muitas vidas, sem muitas vezes se aperceber. Não encontro muitas palavras que consigam expressar o que é a minha mãe, o que é uma mãe, o que é ser mãe.
Uma mãe que deixou muitas vezes de comer para me dar. Eu era muito novo, mas lembro-me. Uma mãe que sofria em silêncio quando me via mal, mas escondia essa dor para não mostrar fraqueza. Eu estava triste, mas reparei. Uma mãe que me deu asas para que voasse, quando o que mais queria era guardar-me debaixo das suas. Uma mãe que me deu uma vida, que me educou e ensinou o melhor que sabia. Não, não é a minha mãe biológica, mas é a minha mãe verdadeira. Não foi abençoada com um ventre fértil, mas foi abençoada com um grande coração, e eu, abandonado no meio de um leque de berços, fui o escolhido para ser o seu filho. Se há pessoas com sorte, eu sou uma delas.
Eu sei que ela seria incapaz de me exigir algo de volta. Sei que não faz nada para poder receber mais tarde. E tudo o que eu posso prometer é lutar e trabalhar para que o esforço dela em mim não seja em vão. Para que um dia, quando já não aparecer roupa lavada em cima da cama, ou o almoço pronto em cima da mesa, ou quando for a minha vez de lhe dar o comer à boca ou de lhe mudar as fraldas, nada lhe falte. É o mínimo que eu posso fazer por quem me deu tudo em troca de nada. Amá-la-ei para sempre, pois a única mulher que eu posso prometer amar para sempre é a minha mãe.
By: Raul Minh’ Alma

Amo-te infinitamente





Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

644 - Porque é que as vezes as mães choram

Meu muito amado filho Estêvão

Ontem viste-me a chorar e muito e ficaste triste e muito e perguntaste-me "porque choras mãe? tu não tens medo de nada!".

Não podias estar mais errado. Tenho medo de tudo tudo tudo. Desde que nasceste então tenho ainda mais.

Ontem não foi um dia bom mas ontem foi só a ultima gota que encheu o copo.
Ontem estacionei o carro mal, não cumpri o código da estrada e para ir a correr dar uma aula estacionei em cima do passeio. Não devia foi errado e veio o reboque e levou o meu carro. Fizeram bem, eu errei. Passado o primeiro momento em que não sabia do carro e pensei que me o tinham roubado o carro, lá o fui buscar a polica.
Atenção que eu sei que errei, ok? eu estava mesmo mal parada, nunca faço isso fiz ontem e não devia.
Enquanto esperava para ser atendida, os policias que com certeza ganham mal e tem mais trabalho do que deviam demoraram muito a atender e um senhor que lá estava antes começou a irritar-se e a falar alto e que não pagava que aquilo…