Pular para o conteúdo principal

420 - Um desabafo final

Meu muito amado filho Estêvão

O que te vou escrevendo aqui, já falamos sobre isso, são coisas que eu queria que um dia tu lesses e que te desse uma mensagem bonita, util, feliz, importante. Tento sempre que assim seja.
Hoje não sei em que grupo estará a mensagem que aqui te deixo, não é bonita, nem feliz, não é nada importante e de util só aquilo que me ensinou. E que eu quero que te ensine tambem.
Mas é só hoje e acabou.... daqui para a frente as mensagem voltaram a ser felizes e uteis e importantes e tudo o mais.

Já te disse aqui noutras ocasiões que há quase 2 anos me soltei de um relacionamento (alias a palavra nem é relacionamento.... é relação exploratoria) onde literalmente e completamente sustentei um homem adulto... não um doente que precisa de ajuda durante um periodo em que nao pode trabalhar porque está doente, não uma criança pequena que precisa de ajuda para crescer porque é ainda uma criança.... mas um homem adulto, cheio de saude, e com nenhuma vontade de trabalhar e com muita mentira e mal caracter. Foram 40 meses em que fui literalmente explorada e que felizmente terminaram. Mas deixaram-me consequencias financeiras que ainda hoje tu e eu sofremos com isso e deixaram em mim marcas que vão demorar a passar.

Outro dia na policia por causa deste assunto um senhor agente disse-me que o mais dificil eu já tinha feito que era deixar a relação abusiva e o abusador para tras e que não me iria faltar saude para trabalhar e conseguir o dinheiro que me foi roubado e que tanta falta me faz para te criar.
O Senhor agente disse-me que eu não tinha que me sentir cultpada por não ter reconhecido os sinais e não ter reconhecido o abuso e o roubo ... porque a nossa natureza (minha e do abusador) é diferente... eu não saberia reconhecer um passaro exotico porque é isso mesmo exotico muito diferente da minha realidade. Completamente diferente da minha realidade da realidade da minha vida da minha familia.

Quando eu te falo aqui de moral, de sermos verdadeiros, de sermos honestos, de sermos o nosso mais é sempre isto que eu tenho em atenção... nada de bom vem da mentira, do ser espertinho, do enganar... trás tanta dor a quem sofre....

Como diz o senhor policia o dinheiro as dividas que eu não fiz para mim mas que fizeram por mim .... hão de se resolver (hei de resolver) e saude não me há de faltar para que roupa, chão, tecto, comida, escola, amor, sol, saude e paz não te faltem.
E um dia ... um dia eu sei ... um dia eu tenho a certeza.... absoluta eu vou voltar a acreditar que há homens bons, há homens que pagam nos pagam o almoço, que nos contam a verdade, que querem mesmo mesmo mesmo o nosso bem. Não é preciso que andem de cavalo branco ou armadura reluzente, não é preciso que sejam bonitos, ou sequer que sejam muito inteligentes mas que sejam verdadeiros nos sentimentos na vida.
Um dia.


Amo-te infinitamente

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

74 - Regras de vida minimalista

Amado filho
Deixo-te algumas regras de minimalismo... viver de um modo simples....

Querido filho deixo-te de seguida uns ensinamentos de alguem que sabe muito mais que eu... retirado de http://busywomanstripycat.blogspot.pt/

1. Reduza a tralha 2. Use o sistema de destralhamento do Dave 3. Use o speed cleaning para limpar a casa 4. Corte em metade o tempo que passa no supermercado 5. Compre em grandes quantidades 6. Plante um jardim 7. Faça todos os seus recados no mesmo sítio 8. Corte o tempo que passa a tratar da roupa em metade 9. Não compre roupas que precisam de ser limpas a seco 10. Deixe os sapatos à porta 11. Use tapetes com padrões 12. Use tabuleiros para a comida 13. Mantenha as plantas lá fora 14. Substitua a relva por relva artificial 15. Ou, pelo menos, simplifique a manutenção da relva 16. Animais de estimação simples 17. Mudanças simples 18. Reciclagem simples 19. Mude-se para uma casa mais pequena 20. Guie um carro simples 21. Venda a porcaria do barco 22. Construa um guarda-roupa simples 23. …