Pular para o conteúdo principal

322 - A importância da inteligência emocional

Meu muito amado filho

Hoje deixo-te um texto que leio e re-releio muitas vezes e me tem ajudado muito com pessoa, profissional e mãe.

“A vida familiar é a nossa primeira escola para a aprendizagem emocional” Daniel Goleman “autor” da Inteligência Emocional afirma que “ neste caldeirão de intimidade aprendemos como sentir-nos a respeito de nós próprios e como os outros reagirão aos nossos sentimentos; o que pensar a respeito desses sentimentos e que escolhas temos ao nosso dispor para reagir; como ler e exprimir esperanças e medos.
Esta aprendizagem emocional funciona não só através das coisas que os pais dizem e fazem diretamente às crianças, mas também dos modelos com os seus próprios sentimentos e com aqueles que passam entre marido e mulher emocionais muito dotados; outros são péssimos”•
A inteligência emocional representa a capacidade de controlarem os impulsos, de aumentarem o prazer e motivarem-se a si próprios, aprendendo a interpretar os seus sentimentos e, de como os outros reagirão aos seus sentimentos, o que pensar a respeito destes sentimentos e que escolhas têm ao seu dispor para reagir, como ler e exprimir esperanças e medos.
A capacidade de lidar com os sentimentos e a consciência emocional são mais importantes que o quociente de inteligência para o sucesso e a felicidade em todas as vivências.
A boa educação implica muito mais que o intelecto, esta requer emoção, neste sentido para as crianças terem uma boa educação é necessário que os pais ou os seus educadores os ajudem a gerir as emoções.
Esta aprendizagem emocional funciona, não só através das coisas que os educadores (Pais e educadores escolares, ou outros que fazem parte no dia a dia da criança) dizem e fazem diretamente às crianças, mas também dos modelos que oferecem no modo como lidam com os seus próprios sentimentos e com aqueles que passam nas suas relações interpessoais. Os educadores são professores emocionais essenciais no seu desenvolvimento da criança-
Com Inteligência Emocional é possível obter mais tranquilidade, harmonia no quotidiano e reduzir o nível de stress e introduzir mais disponibilidade para se divertir nas suas relações com as crianças. Ajudar as crianças a crescerem de forma responsável, auto-disciplinadas e sociavelmente melhor preparadas.



Passos da Inteligência Emocional

O pilar da Inteligência emocional “Faça aos seus filhos/educandos o que gostava que os outros lhe fizessem a SI”
Esta regra contém os cinco princípios para educar as crianças com I.E que são:

1. Tome consciência dos seus próprios sentimentos e dos sentimentos da criança:
Muitas vezes as crianças com problemas comportamentais sentem também dificuldades em classificar os seus sentimentos, são capazes de confundir, por exemplo, aborrecido com enlouquecido, preocupado com triste. A partir do momento que formos capazes de  identificar os nossos múltiplos sentimentos, as possibilidades de os controlar são muito maiores.

2. Mostre empatia e compreenda os seus pontos de vista
Quando tivermos consciência dos nossos sentimentos relacionamo-nos com empatia, que é a compreensão emocional não verbalizada das crianças. Desta forma será mais fácil perceber o que as crianças estão a sentir. Para este princípio ser eficaz será necessário ter capacidade de ouvir com atenção e de perceber os sinais de comunicação não-verbal.

3. Compreenda de forma positiva os impulsos emocionais e comportamentais
Como seres sociais estamos programados para reagir aos problemas de maneira instintiva, obtemos pouca eficiência nos resultados. Com a utilização da Inteligência Emocional, é possível aplicarmos os nossos conhecimentos sobre os nossos próprios sentimentos e os dos outros, por forma a controlar os nossos impulsos eficazmente.

4. Identifique os seus objetivos e planifique ações positivas para alcançá-los
Após a identificação dos objetivos é necessário planificar as ações com esperança e otimismo. Esta disposição contagia a nossa mente, os nossos sentimentos e o nosso corpo.
Perceber quais os melhores momentos do dia, dos educadores e da criança para alcançar os objetivos e investir nestes períodos.
Para controlar melhor as estratégias é importante registar os seus resultados.
Ajudar a criança a ter consciência do que significa um objectivo por meio de analogias, fazendo-a perceber a sua importância neste processo.

5.Utilize as competências sociais positivas nos seus relacionamentos
Para os educadores e as crianças terem um relacionamento interpessoal eficaz, é necessário, comunicar e saber resolver problemas. Para comunicarmos é fundamental, saber ouvir e também temos de ser capazes de nos expressar com objetividade.

Competências relacionadas com o saber fazer parte de um grupo, e que contribuem para termos uma participação mais efetiva dentro dos grupos e que quando os membros do grupo utilizam estas capacidades estes funcionam melhor, tais como: aprender a ouvir os outros com atenção; saber esperar a vez; harmonizar os sentimentos; obter consensos e expressar com clareza os nossos pontos de vista.
Competências sociais como a capacidade de resolver problemas interpessoais e efetuar escolhas adequadas, pensadas e responsáveis, assim como em arranjar alternativas construtivas quando surgem obstáculos no relacionamento com os outros.
E NÃO SE ESQUEÇA“A vida familiar é a nossa primeira escola para a aprendizagem emocional"
Cuide de si e da sua familia!
 Por Dra. Maria Carvalho Pereira, Psicóloga Infantil


Amo-te demais

Tua mãe

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

679 - O dia em que fui a uma missa pela ultima vez

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje depois de um velório de uma pessoa a quem muito queria e depois de um funeral, precisava de rezar de me sentar na casa de Deus e agradecer. Sim agradecer.
Esqueci-me que já dezenas de amigos e família me tinham avisado para não ir a determinada igreja em Lisboa (não menciono aqui o nome da igreja porque de facto não interessa, não estou em luta com ninguém não quero mudar ninguém que não eu mesmo e de minha boca não farei o que outros fazem), esqueci-me e fui a essa igreja. 
Que horror ver quem tu sabes bem de capa umeral numa igreja ao lado do senhor padre e acólito e um diácono. Que horror, meu Deus. Tive de sair da igreja na altura da comunhão e vomitei, vomitei como nunca havia vomitado antes, vomitei de nojo de dentro da alma.
Nojo, vergonha e muito muito nojo de o corpo de Cristo, da Sagrada Comunhão sair das mãos de um mentiroso, que mente até no número de filhos que tem, num bandido que  vive de enganar pessoas, engana a autoridade tributária, as…

719 - Hoje isto acaba

Meu muito amado filho Estêvão Há 7 (quase 8) anos quando nasceste decidi escrever te este blog e decidi que 1111 coisas seriam .... hoje termino esta minha demanda mas não com 1111 mas sim com 719. Hoje isto acaba. Depois de pensar e sentir estou certa que nada mais tenho para te ensinar. NADA. Não sei nada da vida e do mundo e em particular do universo. Não sei nada do "amor". Nada de nada só sei do amor que te tenho. Não sei nada sobre namorar, casar, partilhar, ser leve. Nada. Há muitos muitos muitos anos que não sou beijada que não fecho os olhos com a sensação maravilhosa de ser amado, há outros tantos não janto fora para namorar, não olho nos olhos de alguém (que não tu) e penso UAU! .... já apanhei tantas vezes os cacos do meu coração que já perdi um monte pelo caminho e agora estão todos os cacos no saco, não sou dada a tinders ou aplicações de encontros, sou gorda demais e feia demais para algum dos meus amigos ou amigas me ajudar a encontrar um namorado. Por isso amor q…