Pular para o conteúdo principal

220 - Feridas, gastos, valores e respeito

Meu muito amado filho Estêvão

Quando uma criança cai e esfola o joelho ou o cotovelo, mostra sempre a tua preocupação pelo sucedido, depois faz-lhe um ritual de cura, "um beijinho na ferida e isso fica logo bom".

Não julgues aquilo que não compreendes.

Procura todos os dias oportunidades de fazeres as pessoas à tua volta sentirem-se bem.

Nunca gastes despreocupadamente o tempo ou as palavras. Quer um, quer as outras são insusceptíveis de reposição.

Quando encontrares um emprego que consideres ideal, aceita-o independentemente do salário mensal. Se tiveres as capacidades requeridas, o teu salário reflectirá em breve a tua valia para a empresa em que trabalhas.

Assiste sempre às provas desportivas, festas, sessões teatrais e sessões na escola em que os teus filhos participem. Sempre.

Envia flores à pessoa que amas. Mais tarde pensarás num motivo para o teres feito.

Lê sempre os jornais ao fim-de-semana para te manteres informado.

Mostra respeito por todos os que fazem pela vida, por mais trivial que seja o trabalho de cada um.

Tem sempre um bloco de notas e um lápis na tua mesa de cabeceira. As grandes ideias atacam por vezes às 3 da manhã.

Nunca comprometas a tua integridade.

Nunca tenhas receio de dizer "peço desculpa".

Nunca tenhas receio de dizer "preciso de ajuda".

Nunca tenhas receio de dizer "cometi um erro".

Nunca tenhas receio de dizer "não sei".

Faz com a tua família exercícios de reacção em caso de incêndio e sismo. É preciso de todos saibam o que fazer caso ocorra uma fatalidade dessas.

Muda o óleo e o filtro do carro de 5000 em 500 km independentemente do que diz a esse respeito o manual de instruções da tua viatura.

Não dês uma gorjeta muito pequena ao empregado de mesa quando não tiveres gostado da comida, não foi ele que a cozinhou.

Nunca substimes o poder de uma palavra gentil ou de um ato de gentileza.

Ri muito. Um bom sentido de humor consegue curar quase todos os males da vida.

Faz as coisas bem logo à primeira. Se puderes. Se depender de ti.

Quando te encontrares com pessoas que não conheces bem, estende-lhes a mão e diz-lhes o teu nome. Mesmo que já se tenham encontrado antes. Nunca presumas que se recordarão de ti.

Compra só carros que tenham airbags.

Grava o riso da tua mãe, dos teus primos dos teus avós de todas as pessoas da tua família. De quem te ama. De quem tu amas.

Cada pessoa que encontras sabe algo que tu desconheces, aprende com elas.

Quando levantares o auscultador do telefone fala com entusiasmo e energia na tua voz.

É muito importante que conheças algo de três religiões para além da tua.

Faz uma lista com 25 coisas que achas que deves experimentar antes de morreres. Anda sempre com ela na carteira e consulta-a com frequência.

Para estares bem contigo mesmo toma decisões consonantes com os teus valores.


Amo-te como as pedrinhas na praia



Tua mãe


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…

74 - Regras de vida minimalista

Amado filho
Deixo-te algumas regras de minimalismo... viver de um modo simples....

Querido filho deixo-te de seguida uns ensinamentos de alguem que sabe muito mais que eu... retirado de http://busywomanstripycat.blogspot.pt/

1. Reduza a tralha 2. Use o sistema de destralhamento do Dave 3. Use o speed cleaning para limpar a casa 4. Corte em metade o tempo que passa no supermercado 5. Compre em grandes quantidades 6. Plante um jardim 7. Faça todos os seus recados no mesmo sítio 8. Corte o tempo que passa a tratar da roupa em metade 9. Não compre roupas que precisam de ser limpas a seco 10. Deixe os sapatos à porta 11. Use tapetes com padrões 12. Use tabuleiros para a comida 13. Mantenha as plantas lá fora 14. Substitua a relva por relva artificial 15. Ou, pelo menos, simplifique a manutenção da relva 16. Animais de estimação simples 17. Mudanças simples 18. Reciclagem simples 19. Mude-se para uma casa mais pequena 20. Guie um carro simples 21. Venda a porcaria do barco 22. Construa um guarda-roupa simples 23. …