Pular para o conteúdo principal

205 - Alegria, honestidade e os dias menos felizes

Meu muito amado filho Estêvão

Nunca deixes que alguém abandone a tua presença sem que receba uma palavra de apreço.
Seja qual for a circunstancia desde a mais feliz, a mais triste como uma conversa a despedir um funcionário, ou uma conversa a terminares uma relação, nunca deixes que uma pessoa deixe a tua presença sem que lhe digas algo verdadeiramente bom.
As pessoas, está na natureza humana, tendem a fixar as coisas más, as desagradáveis e essa memória fica... que a ultima coisa que tu digas a alguém não seja uma coisa desagradável... nunca sabes se vais voltar a ver essa pessoa.
Quando falas com alguém elogia sempre algo, porque há sempre algo a elogiar. E não faças do elogio a alguém um elogio a ti. Agradece e elogia mesmo a outra pessoa.
Que quem se afasta de ti leve sempre palavras agradáveis.
Vais terminar um relacionamento com alguém lembra as coisas boas, fala só dessas, das coisas maravilhosas que aconteceram... não remoas o que foi mau... são lembranças muitíssimo difíceis de ultrapassar acredita em mim.

Nem sempre a vida das pessoas crescidas é feliz. Não quer dizer que as pessoas não sejam profundamente felizes. Mas há dias muito difíceis, há dias que não são bons de passar. Mas esses dias existem para que dês ainda mais valor a todos os outros maravilhosos dias.
O que te quero dizer aqui é que não tenhas medo de sentir dias menos bons, não tenhas medo de chorar os dias menos bons, não tenhas medo de te sentir abandonado, de sentir que não levas a vida mas que
és levado qual canoa sem rumo pela vida rio abaixo... sente os dias maus como sentes os dias bons... não fujas desses sentir.
Haverão dias em que as noites e os dias se fundem em que a insónia te invade em que a cabeça está cheia de preocupações e duvidas, em que pões tudo em causa, em que tens medo infantil de falhar, em que mesmo mesmo precisas de colo de conforto de alguém que te oiça ou simplesmente de alguém que esteja ali para não chorares sozinho... haverão dias em que tudo parece tão tão difícil em que só apetece ser pequenino de novo e pedir que tomem as decisões por nós em que sejam por nós... são dias em que te vais sentir injustiça-do pelo mundo em que te vais sentir abandonado por Deus, em que te vais zangar com ele e com o facto de por no teu caminho provas tão difíceis de ultrapassar, vais te sentir o ser mais desgraçado e triste do universo.... nesse dia não te vais lembrar de tudo o que tens para agradecer: saúde, paz, liberdade, amor, casa e alimento... são dias em que não te vais lembrar que há pessoas em pior (bem pior) situação que tu... são os teus dias de "lado lunar"... serão poucos com toda a certeza... mas não fujas deles, não te aterrorizes com eles, zanga-te com Deus à vontade ele aguenta, não te sintas injusto por não te lembrares das coisas maravilhosas que tens para agradecer.... simplesmente deixa sentir esses dias tristes sem medo. Nunca tomes nenhuma decisão nesses dias, pois por certo vais te arrepender... e nesses dias deixa a alma doer.... chora e grita o que tens a chorar e a gritar mas deixa fluir. Depois da noite mais escura podes estar certo vem o sol, vem a manha e com ela a alegria em estar vivo em agradecer o que se tem em perdoar quem não nos fez bem, em ser brutalmente feliz.
A vida das pessoas crescidas... a vida desta tua mãe não tem períodos sabáticos... tu és a razão de eu acordar de manha... dar-te vida, fazer-te feliz é o sentido da minha existência... e a tua vida não se coaduna com eu ter direito a períodos sabáticos... não tenho... sabia que não teria... e ainda bem.... mas como pai que serás um dia vais entender melhor que há dias em que não queremos ser crescidos, em que não queremos ter de tomar as decisões difíceis em que queríamos apenas decidir se o sabor do gelado é morango ou chocolate.


Amo-te



Tua mãe




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

69 - Os cães ladram e a caravana passa

Amado filho
Os “cães ladram e a caravana passa” é um proverbio árabe muito usado ainda hoje e que simboliza ainda muito do nosso comportamento humano.
Observa a maravilha de contradição existente no meio da afirmação. O estacionário e o evolutivo. Sabe-se que seguir adiante é da constituição das caravanas (e das pessoas), tal qual ladrar é da constituição dos cães. Aliás, os cães apenas ladram para avisar a seus donos a aproximação de algo que não faz parte de seu habitat convencional, ou quando desejam fazer festa para algum conhecido. Também é da sua constituição manterem-se próximos aos locais onde vivem, como se fossem limitados por um círculo invisível. No primeiro caso, não importa que a caravana tenha boas notícias, nem remédios importantes, basta que não seja daquele local. No segundo, o latido é diferente, mas é latido. Mas se ambos agem de acordo com suas constituições o que há de excecional na expressão? Exatamente o sentido de um permanecer estacionado e do outro seguir semp…

665 - Deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém

Meu muito amado filho Estêvão

"Querido filho, deixa-me dizer-te algumas coisas que se calhar não vais ouvir de mais ninguém. 
Os teus pais fizeram sempre o melhor que souberam fazer. 
E os avós também fizeram isso com os pais. 
Ninguém é melhor do que ninguém. 
Andamos todos às apalpadelas nesta coisa a que chamam vida. 
Ser feliz é o objetivo e cada pessoa tem uma noção diferente do que é a felicidade. Respeita isso. Deixa-me dizer-te que, quando nasces, já existe um Sistema onde se tabela logo que vais passar 12 anos a estudar e mais cinco na universidade. São 17 anos da tua vida. Tenta aprofundar as matérias que mais interesse te despertem e nunca - mas nunca - escolhas um curso só porque tem mais saídas profissionais. É que depois, diz o tal Sistema, vais trabalhar mais 40 anos até à reforma e, pelo menos, tens que gostar de fazer o que fazes para não caires no consultório de um psiquiatra que te receita umas pílulas da alegria que só mascaram a dor (os anti depressivos são os cosm…

527 - Uma carta de despedida de um filho a uma mãe

Meu muito amado filho Estêvão

Hoje partilho contigo uma carta de um filho que acabou de perder a sua mãe.


Hoje, perdi a mulher mais importante da minha vida. Ainda de manhã te dei um beijo. Foi o último correspondido. Agora já não vou voltar a chegar a casa e ver-te. Vai ser um vazio que nunca será preenchido, mas que fará parte de mim até ao fim dos meus dias.  Educaste-me de uma maneira que nunca pensei que fosse possível. Nunca me faltou nada e trabalhaste dia e noite para que assim fosse. Só posso dar graças a todos os sacrifícios que fizeste, a todas as birras que aturaste, a todos os meus caprichos que atendeste, a todo o carinho que tu me deste, sei que a minha vida inteira não chegará para te agradecer o suficiente, mas vou tentar. Vais-te orgulhar no homem em que me tornei, me estou a tornar e me irei tornar. Vou viver a minha vida sabendo que agora tenho mais um anjo a olhar por mim, mais uma estrela a guiar-me. Vou fazer a minha vida como a sonhei, vou viver os meus sonhos por…